PortuguêsEnglishEspañol

Ana Maria Cesar Pompeu


Titulação: Doutorado em Letras (Letras Clássicas) – USP – 2004

Categoria: Colaborador

Linha de pesquisa:

1. Teoria, crítica e história da tradução

2. Tradução, ensino/aquisição de língua estrangeira novas mídias

Lattes (link de acesso)

E-mail: amcpomp@ig.com.br

Projetos de Pesquisa

O docente em questão aceitará, preferencialmente, a orientação de projetos de mestrado e doutorado que se enquadrem dentro do(s) seguinte(s) projeto(s) de pesquisa em andamento na Pós-graduação em Estudos da Tradução:

  1. Traduzindo os camponeses aristofânicos como matutos cearenses: Trigeu em Paz e a “Trigédia” de Diceópolis em Acarnenses –  O objetivo geral desta pesquisa é o estabelecimento de uma poética da Comédia Antiga, através do próprio comediógrafo Aristófanes, que é precursor de alguns conceitos fundamentais sobre a Poesia, os quais serão, posteriormente, desenvolvidos por Platão e Aristóteles. De modo mais específico, estudaremos a gênese da comédia pela paródia de um canto fálico, que é indicado por Aristóteles, na Poética, como origem da comédia, dentro da celebração de uma Dionísia rural, em comemoração à paz readquirida pelo protagonista de Acarnenses. Faremos um estudo comparativo entre a paz particular de Diceópolis, defendida numa trigédia, canto ao vinho novo ou comédia, e a de Trigeu, o vindimador, que resgata a deusa Paz, na peça homônima, para todos os gregos. Estabelecemos uma equiparação dos rituais dionisíacos agrários com as festas juninas do nordeste brasileiro, pelo reconhecimento dos seus traços estruturais comuns, na forma de festivais agrários de fertilidade e manifestações espetaculares. A concretização da pesquisa será feita pela tradução da comédia Paz de Aristófanes, do texto original grego de 421 a. C., com a versão matuta cearense dos camponeses aristofânicos, em consonância com a leitura e tradução de Acarnenses, de 425 a.C., já estabelecidas por nós, no reconhecimento da forte inspiração da Musa da comédia na cultura cearense.

Grupos de Pesquisa

  1. GP/CNPq Núcleo de Cultura Clássica,  com 15 pesquisadores e 19 discentes envolvidos