PortuguêsEnglishEspañol

Palestra – Aspectos cognitivos da tradução humana e da pós-edição de textos traduzidos automaticamente

A POET convida a todos para participar da palestra “Aspectos cognitivos da tradução humana e da pós-edição de textos traduzidos automaticamente”, a ser ministrada via skype por Arlene Koglin,  pesquisadora associada do Laboratório experimental de tradução (LETRA) da UFMG. O evento ocorrerá na sexta-feira, 23 de novembro, a partir das 16h no auditório Rachel de Queiroz. Abaixo seguem mais informações sobre a palestra e o local de realização. O evento não necessita de inscrição e é aberto ao público.

Local: Auditório Rachel de Queiroz – Bloco Ícaro Moreira (bloco da Psicologia e Biblioteconomia), térreo. Centro de Humanidades 02.

Resumo:

A investigação dos aspectos cognitivos que subjazem o ato de traduzir aludem inicialmente a Seleskovitch (1968/1978). Contudo, as pesquisas empírico-experimentais que se dedicam a descrever os aspectos processuais inerentes à tarefa tradutória surgem apenas a partir da década de 1980 (Krings, 1986; Königs, 1987) e avançam nos anos 1990 com o surgimento da triangulação (Alves, 2003), uma perspectiva metodológica que faz uso conjunto de instrumentos como: protocolos verbais, Keylogging e rastreamento ocular. Em decorrência desses avanços, a tradução passa a ser vista não só como um produto textual, mas também como uma atividade de processamento de informação, o que leva pesquisas mais recentes a enfocarem o comportamento do tradutor e os aspectos cognitivos envolvidos no complexo processo tradutório. Isso posto, essa palestra se propõe a apresentar e a discutir os resultados de pesquisa empírico-experimental realizada no Laboratório Experimental de Tradução (LETRA) da Faculdade de Letras da UFMG. Com enfoque processual, investigaram-se aspectos cognitivos em duas tarefas distintas do ponto de vista cognitivo: tradução e pós-edição de textos traduzidos automaticamente.